cesta de pães

Pense em uma Mocinha Desesperada

Sempre fui muito prática. A vida inteira, eu planejei meus dias da maneira mais prática possível; planejava a logística dos lugares em que deveria ir pra economizar combustível ou ônibus, quando tinha um compromisso na parte da tarde, marcava num lugar onde houvesse ao menos uma padaria por perto pra eu poder fazer um lanche rápido e com precinho honesto, modulava minhas justificativas para escapar de compromissos que coincidiam com outros “adiáveis”. Por exemplo, se alguém insistisse em marcar comigo de estudar à noite (que e quando quero ficar quietinha em casa vendo seriados), eu dizia que era a minha hora de assistir à missa no canal religioso, “como faço há mais de 10 anos”. Se um colega insistisse pra eu estudar com ele bem na hora do almoço por ser a única hora disponível que ele tinha, eu dizia que não podia porque tinha que almoçar “pra tomar meu remédio controlado daquele horário”. Nunca falhou.

cesta de pães

E em casa, eu continuava sendo prática: não perdia meu tempo na cozinha, e sempre tinha biscoito recheado e macarrão instantâneo pra fazer. Apesar de ser de família de cozinheiras, eu nunca tive muito jeito pra coisa – e ao invés de tentar desenvolver isso, me entreguei às benesses da vida moderna e nos hipermercados repletos de delícias prontas e embaladinhas. Só que um dia eu precisei dar um pulo diferente do que eu estava habituada: a família do meu namorado estava vindo à cidade e queria me conhecer. E era daquelas famílias mais classudas, preocupadas com a saúde e tudo o mais. E eu, uma comedora de recheio de biscoito com miojo… teria que recebê-los. O que eu faria pra servir a eles? Pipoca sem óleo?? Foi quando eu conheci duas coisas inéditas pra mim: pão de semi congelado e também o pão multicereais congelado.

Chama o Toninho!!

Quando meu namorado me deu a notícia, eu insisti quase de joelhos pra que a gente saísse com os pais dele pra um japonês ou pro restaurante natureba que tem perto da minha casa, mas ele insistiu de volta, dizendo que os pais queriam vir me conhecer na minha casa, porque ele havia falado muito sobre o meu apê pra eles. De fato, era um lugar agradável. A sala decorada num estilo meio “disco”, muitos vasinhos de flores pendurados em frente às janelas, sofás que eu mês recapeei com chita e fazenda (pra quem não sabe, são nomes de tecidos, ok?), lustres exóticos… Era, mesmo, um cantinho muito gostoso. Mas dentro dos armários da cozinha é que moravam os vilões da alimentação saudável, e era só o que eu tinha. Corri pro Toninho.

balcão padaria

Toninho é um padeiro com quem acabei fazendo amizade. Ele trabalha numa padaria de frente pro meu prédio e adora cozinhar. Minha intenção era encomendar umas coisinhas gostosas e saudáveis com ele, mas como o prazo era curto (dois dias), ele teve que negar. Perguntei se tinha alguma coisa pronta do tipo ali na padaria e ele me deu uma dica de ouro: “por que não serve uns pães fatiados com patê light? Os pães eu tenho congelados aqui, e o patê é fácil de fazer. Posso te ensinar”.

Toninho é um santo. Quando eu me formar, vou montar uma padaria só pra contratá-lo a salário dobrado!

Ele me mostrou dois tipos de pães que, segundo ele, cairiam bem na ocasião: pão semi italiano e pão multicereais. Esse último eu achei a cara dos meus sogrinhos! Era só fatiá-los e servi-los numa bandeja, junto com potes de patê light. Ele me deu a ideia de fazer um patê de atum (maaaravilhoso) e outro de berinjela (mais maravilhoso ainda). Mas o pão tinha que estar fresquinho, e não era todo dia que a padaria fazia dele. Pensei: “danou-se. E se no dia não tiver esse pão na padaria?”.

E aí o Toninho, aquele santo homem, me deu a solução: ali na padaria eles trabalhavam com esses pães já preparados, mas congelados, de uma marca chamada Via Pane. Tudo o que eu teria que fazer era assá-los! Olha que beleza! Adoro coisas práticas assim! Levei dois de cada naquela hora mesmo e testei em casa. Foi quando descobri que meu forno é mais fraco do que pensava, porque precisaram ficar uns quinze minutos a mais pra chegar no ponto certo. Mas deu! E ficou gostoso como vocês nem imaginam! No dia seguinte, faltando um dia pra visita, fui à padaria e comprei mais unidades. Aproveitei pra comprar os ingredientes dos patês num mercadinho no quarteirão ao lado (viu? Logística é tudo, gente).

Produção de Pães

E no grande dia, estava tudo pronto: pães assados, patês feitos, bandejas decoradas com um paninho todo bordado que minha mãe me deu há anos e eu no meio da sala, inchada feito um pavão macho querendo dar cantada na fêmea, me sentindo a própria rainha da black cocada. Meus “sogros” chegaram junto com meu namorado; mostrei o apê pra eles, nos sentamos, comemos, conversamos, nos divertimos e por fim, o sogrão olha pra gente e solta: “que tal jantarmos numa churrascaria que vi aqui perto? Me deu uma vontade de comer carne bem gordurosa…”. “Preocupados com a saúde, né?”, falei baixinho pro meu namorado, que não sabia onde enfiar a cara. Mas confesso que gostei da ideia. E fomos lá, apostar quem teria aterosclerose primeiro. Foi uma boa noite.