Transição capilar

Transição capilar: quais cuidados devem ser feitos para evitar danos aos fios?

Falta de cuidados adequados pode causar quebra e queda de cabelo durante transição capilar

A transição capilar consiste no processo pelo qual a mulher interrompe a realização de químicas, como progressiva e relaxamento, e adota os cabelos naturais, independente de eles serem crespos, cacheados ou ondulados.

Apesar de ser bom para os fios, o período de transição capilar os deixa, em geral, mais frágeis, o que aumenta o risco de ressecamento e quebra.

Dessa forma, para realizar esse processo é fundamental que haja planejamento e consciência de que a transição é demorada e exige cuidados específicos.

Como fazer a transição capilar?

Inicialmente é preciso definir qual o tipo de transição capilar que você vai realizar. Ela pode ser mais imediata ou em fases de acordo com as preferências pessoais. Alguns recursos são:

● Big Chop: consiste na estratégia mais rápida e radical cortando o cabelo curto com penteado simples para remover toda a parte com química de uma única vez. Para esse tipo de corte a recomendação é aguardar entre dois e quatro meses;

● cortar periodicamente: a opção mais lenta e que exige cuidados diários é a transição por cortes periódicos. Nesses casos, a recomendação é remover cerca de 2cm de cabelo a cada dois meses, melhorando o caimento durante essa fase;

● Box Braids: consiste na adoção de técnicas de trançado para realizar a transição, de forma que a raiz cresce enquanto o comprimento continua inalterado.

Caso escolha uma transição mais lenta é fundamental conhecer e realizar os cuidados diários com os fios, evitando a queda e a quebra de cabelo.

Quais cuidados adotar?

Existem diversos cuidados que podem ser incorporados na rotina capilar que garantem que mesmo o fio em transição fique mais saudável e bonito. Conheça os principais a seguir!

Cronograma capilar

Para ter uma transição capilar mais satisfatória recomenda-se criar um cronograma envolvendo todas as etapas necessárias até o resultado final. Essa organização garante que o processo durará o tempo planejado e o cabelo receberá todos os cuidados exigidos.

O cronograma capilar pode ser criador intercalando dois tipos de tratamento:

● hidratação: etapa que garante a retenção de água nos fios;
● lubrificação: etapa que cria uma barreira lipídica na fibra capilar, garantindo um efeito mais duradouro à hidratação, deixando os cabelos macios e brilhantes;

Os cuidados podem ocorrer semanalmente, o que garante que tanto a raiz quanto o comprimento continuarão saudáveis durante o processo.

Cortes de cabelo

Os cortes de cabelo são fundamentais para o sucesso da transição, mesmo que eles sejam espaçados.

O corte ajuda a retirar a parte ressecada dos fios e as pontas duplas, proporcionando um visual mais bonito, mas também saudável.

Durante a transição a recomendação é que ao menos as pontas sejam aparadas a cada três meses para valorizar a textura dos fios e dar um melhor caimento.

Destaca-se que quem possui cachos mais largos vai demorar mais para alcançar a modelação desejada, pois ele precisa crescer mais para formar uma espiral completa.

Já as pessoas com cachos menores vão alcançar os resultados desejados em menos tempo. Nesses casos o corte pode ser iniciado em seis meses e os cortes periódicos serem a cada dois meses.

Lavagem e produtos

Durante a transição capilar é importante adotar novos hábitos com o cabelo pensando no tipo e curvatura dos fios. Dessa forma, a lavagem também deve ser diferente.

Sabe aquele exemplo de juntar todo o comprimento do cabelo no topo da cabeça e massagear? Não faça isso! O ideal é que o shampoo seja aplicado apenas no couro cabeludo e sejam feitos movimentos leves. O comprimento deve ser limpo com a espuma resultante.

E como escolher o produto? Invista naqueles direcionados ao seu tipo de cabelo natural e que tenham fórmulas suaves para limpeza, evitando uma agressão maior aos fios.

Uma dica para escolher o shampoo é ver como os fios reagem após a lavagem. Se depois do enxágue os fios estiverem macios, está tudo bem. Se eles estiverem ásperos e necessitando do condicionador, melhor escolher outra opção.

Uma alternativa que agride menos os fios é fazer a limpeza do comprimento com condicionadores específicos, os co-wash.

Para hidratar e proteger os fios é possível realizar cuidados de pré-lavagem. Um exemplo é usar óleos naturais antes, como de coco, uva, rícino e copaíba. Eles formam uma camada de proteção, evitando a exposição durante a limpeza.

Finalização dos fios

Enquanto estiver com dois tipos de fios, a recomendação é ter um cuidado redobrado para pentear. A primeira dica, pentear os fios secos castiga o cabelo e provoca a quebra.

Portanto, o ideal é pentear debaixo para cima durante o banho, desembaraçando e retirando os nós. Uma dica é usar os dedos ou pentes com dentes largos.

Durante a transição capilar pode usar aparelhos como secador e chapinha? Pode, mas com cuidado e sem exagero. O uso excessivo pode ressecar mais os fios, facilitando a quebra e prejudicando os resultados da hidratação.

Para iniciar uma transição capilar é essencial atentar-se a todos esses fatores previamente, evitando danos como a queda de cabelo, quebra dos fios e ressecamento.